sábado, 3 de dezembro de 2016

Tem inicio o cortejo fúnebre com os com os corpos das vítimas emm acidente da Chapecoense. Veja ao vivo



Tem inicio o cortejo fúnebre saindo do Aeroporto de Chapecó com destino a Arena Conda.

São caminhões bi-trens abertos conduzindo os caixões com os corpos de 50 vítimas do trágico acidente envolvendo tripulação, jornalistas, técnicos de voo e diretores da Chapecoense.

No pequeno trajeto doo cortejo a população de Chapecó sai as ruas com bandeiras, fotos do jogadores e camisas para reverencias os mortos.

Assista ao vivo a transmissão pela globo.com clicando no link abaixo:

Assista ao vivo toda cobertura das cerimônias fúnebres das vítimas do acidente que vitimou a delegação da Chapecoense

Clique no linck abaixo e acompanhe em tempo real a chegada e velório das vítimas do acidente com avião da Lumia que vitimou jogadores da Chapecoense, jornalistas e quase toda tripulação.

Michel Temer acaba de chegar a Chapecó para as homenagens aos mortos em acidente com a delegação da Chapecoense

O presidente Michel Temer acaba de chegar ao aeroporto de Chapecó onde deverá participar das homenagens com honras militares as vítimas do acidente com o avião que conduzia os jogadores da chapecoense.

Os três aviões C 130 da FAB com os corpos das vítimas chegam as 09:00 (horário de Brasília), eles já estão sobrevoando o solo do Paraná.

Aviões com corpos das vítimas pousam em Manaus


Os três aviões que transportam os corpos das vítimas do acidente com a Chapecoense já estão em solo brasileiro. Os Hércules C130 da Força Aérea pousaram no final da noite desta sexta-feira em Manaus, onde farão uma escala para reabastecimento. Depois, o comboio segue o voo até Chapecó.

O primeiro C130 pousou na Base Aérea de Manaus às 23h25min, e o segundo às 23h55min. O terceiro chegou à 0h08min. Eles devem ficar em solo por até duas horas para o desembaraço alfandegário.

Os voos desde a Base Aérea de Rionegro, em Medellín, duraram pouco mais de quatro horas. Após o reabastecimento, eles seguem em um voo de seis horas até o oeste de Santa Catarina.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

STF decide nesta quinta se Renan vira réu por falsidade e peculato


O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá decidir nesta quinta-feira (1º) se abre uma ação penal e torna réu o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O parlamentar é acusado de prestar informações falsas, usar documentos falsos e desviar verbas públicas.

A denúncia a ser analisada pelos ministros surgiu de um escândalo revelado em 2007, a partir da suspeita de que um lobista da construtora Mendes Júnior pagava a pensão de uma filha de Renan Calheiros com a jornalista Mônica Veloso.

No total, Calheiros é alvo de 12 inquéritos no STF, em diversos casos. O que será analisado nesta quinta não tem relação com a Operação Lava Jato (que apura desvios na Petrobras, na qual o senador é alvo de outros 8 inquéritos) nem com a Operação Zelotes (relacionada à suposta venda de medidas provisórias, em que ele é alvo de uma outra investigação).

Renan Calheiros é acusado de apresentar ao Senado informações falsas sobre sua renda na tentativa de mostrar que pagava do próprio bolso a pensão da filha. Na época, ele também presidia o Senado e chegou a renunciar ao cargo para escapar de um processo de cassação.

A denúncia, apresentada em 2013 pelo então procurador-geral da República, Roberto Gurgel, é resultado da análise de notas fiscais e outros documentos relativos à venda de gado que o senador apresentou ao Conselho de Ética do Senado para se defender.

"Apurou-se que Renan Calheiros não possuía recursos disponíveis para custear os pagamentos feitos a Mônica Veloso no período de janeiro de 2004 a dezembro de 2006, e que inseriu e fez inserir em documentos públicos e particulares informações diversas das que deveriam ser escritas sobre seus ganhos com atividade rural, com o fim de alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante, qual seja, sua capacidade financeira", diz a peça.

A análise dos papéis apresentados por Renan também indica que ele usou verba indenizatória do Senado (destinada a despesas de gabinete) para pagar uma locadora de veículos que, segundo a PGR, não prestou efetivamente os serviços contratados. A empresa teria feito diversos empréstimos ao senador, também usados para justificar sua renda.

Em abril deste ano, a própria PGR alertou o STF para o risco de prescrição em parte dos crimes de falsidade ideológica e uso de documento falso atribuídos a Renan Calheiros. A prescrição ocorre quando não se pode mais haver punição em razão dos tempo decorrido das suspeitas. No julgamento desta quinta, a questão também será analisada pelos ministros.

Defesa
Desde o início das investigações, Renan Calheiros tem reiterado que pagou a pensão da filha e que os documentos apresentados ao Senado refletem sua renda efetiva na criação de gado. No mês passado, quando o julgamento desta quinta foi anunciado, o senador disse estar "tranquilo e, como sempre, confiante na Justiça".

No processo, a defesa de Renan Calheiros buscou explicar em detalhes as supostas inconsistências apontadas pela PGR na receita obtida com a venda de gado.

"Todas as operações comerciais e financeiras do noticiado foram devidamente registradas e contabilizadas. Não há um único centavo que tenha transitado nas contas bancárias do noticiado que não seja resultante dos subsídios parlamentares, verba indenizatória, venda de imóveis, empréstimos financeiros e venda de gado", disse a defesa no processo.

Na nota divulgada em novembro, Renan Calheiros disse que ele mesmo pediu a investigação e "é o maior interessado nesse julgamento".

"O senador está tranquilo e, como sempre, confiante na Justiça brasileira sublinhando que, neste episódio, responde - ao mesmo tempo - por ter recursos para fazer face à despesa mencionada e por não dispor dos recursos. Em um inquérito o senador responde por não ter os recursos. Em outro por dispor dos meios financeiros antes inexistentes", afirmou, por meio de sua assessoria.

Torcedores lotam Arena Condá em comovente homenagem às vítimas

Na noite em que disputariam a final da Copa Sul-Americana, torcedores da Chapecoense e do Atlético Nacional-COL homenagearam as vítimas da tragédia com o avião que levava o time catarinense para a Colômbia.

Milhares de torcedores ocuparam a Arena Condá, em Chapecó, e fizeram, junto a jogadores do clube, familiares, moradores da cidade e jornalistas de todo mundo uma comovente demonstração de compaixão, dor, tristeza e fé. Ao mesmo tempo, em Medellín, colombianos lotaram o Estádio Atanasio Girardot.


O clima de emoção tomou conta das arquibancadas e do gramado da Arena. Desde antes do horário marcado para o começo da vigília, torcedores não seguravam as lágrimas ao entoarem cantos de "sempre estarei contigo" à equipe da Chapecoense.

A rivalidade não teve vez: em meio às camisas do time alviverde, uma amarela, do Criciúma chamou a atenção. E o dono dela chorava, como os outros. No gramado, em que estavam o altar e cadeiras montadas para a missa, jornalistas de diferentes lugares do mundo também se emocionaram.

Os jogadores que não viajaram com a delegação por diferentes motivos estiveram presente no gramado da Arena Condá. Eles se emocionaram muito, emocionaram todo o público presente e receberam inúmeras demonstrações de carinho.


Com 10 anos de Chapecoense, o goleiro Nivaldo era um dos mais emocionados. Ele tem quase 300 jogos com a camisa alviverde e pretendia se aposentar ao chegar a esta marca. Entre os jogadores, estavam também o zagueiro Rafael Lima, o meia-atacante Hyoran, agora do Palmeiras, e o meia argentino Martinuccio. 

Revelado na Chapecoense, o lateral-direito Fabiano, do Palmeiras, não conteve as lágrimas durante as homenagens. Foi ele quem fez, no último domingo, em São Paulo, o gol que decretou o título do Campeonato Brasileiro ao Palmeiras, justamente contra a Chape.


Momento de grande comoção foi quando os nomes e fotos de cada uma das vítimas do acidente aparecem no telão, extremamente aplaudidos. Os gritos de "é campeão", que já foram escutados na terça-feira, voltaram a ecoar na Arena Condá. Mais do que merecido.

Por volta de 22h20, uma missa foi celebrada no gramado da Arena, com todos os familiares das vítimas no gramado. Cena difícil de ser vista com indiferença. Todos muito emocionados e abalados com a tragédia.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Câmara muda pacote anticorrupção e aprova punição a juiz e MP

 
A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quarta-feira (30) uma emenda ao pacote de medidas contra a corrupção que prevê as condutas pelas quais juízes e membros do Ministério Público poderão responder por abuso de autoridade.

A
mudança foi feita logo após a aprovação do texto-base do projeto e acabou aprovada por 313 votos favoráveis e 132 contrários. Houve 5 abstenções. Os parlamentares ainda precisam analisar outras sugestões de alteração para concluir a votação do pacote.

A emenda foi apresentada pela bancada do PDT e lista as situações em que juízes e promotores poderão ser processados por abuso de autoridade, com pena de seis meses a dois anos de reclusão. A legislação atual já prevê o crime de abuso de autoridade, mas é mais genérica.

Entre as condutas que passariam a ser crime estaria a apresentação pelo MP de ação de improbidade administrativa contra agente público "de maneira temerária". Nesse caso, além de prisão, os promotores também estariam sujeitos a indenizar o denunciado por danos materiais e morais ou à imagem que tiver provocado.

A emenda teve o apoio da maior parte das legendas. Apenas PPS, PSOL, Rede e PV orientaram as suas bancadas para que barrassem a medida. O PSDB, DEM, PROS e PHS liberaram seus deputados para que votassem como quisessem.

Pela emenda, entre as condutas passíveis de punição está a de se manifestar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre qualquer processo pendente de julgamento ou atuação do MP ou fazer “juízo depreciativo” sobre despachos, votos, sentenças ou manifestações funcionais, “ressalvada a crítica nos autos e em obras técnicas ou no exercício do magistério”.

Outras situações que passariam a ser enquadradas como abuso de autoridade estão atuar com motivação político-partidária, ser negligente no cumprimento do cargo, proceder de modo incompatível com o decoro ou receber qualquer honorário ou custas processuais.

Também seria enquadrado o juiz que proferir julgamento, quando, por lei, estiver impedido ou suspeito na causa; exercer atividade empresarial ou participar de sociedade empresária, exceto como acionista. O juiz não poderia exercer qualquer outro cargo ou função, exceto dar aula.

Em relação aos membros do Ministério Público, estariam praticando abuso de autoridade quando emitissem parecer, quando, por lei, estivessem impedidos ou suspeitos na causa. Estariam ainda proibidos de exercer a advocacia ou qualquer outra função pública, menos dar aula.

Controvérsia
Embora não tivesse sido discutida na comissão especial, a punição a juízes e promotores foi incluída no parecer apresentado pelo relator, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), mas dentro da tipificação do crime de responsabilidade. Hoje, esse tipo de crime só atinge ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o procurador-geral da República, além de presidente da República, ministros, governadores e secretários de estado.

Após pressão do Ministério Público Federal, porém, Lorenzoni acabou recuando e retirou esse item do seu relatório, o que gerou críticas da maior parte das legendas, favoráveis à medida.

No plenário, Lorenzoni tentou convencer os colegas a não aprovar a emenda sob o argumento de que não seria o momento adequado para votar a medida porque poderia soar como retaliação às investigações da Lava Jato.

No entanto, ele acabou vaiado por vários deputados e mal conseguiu concluir o seu discurso. Irritados, os parlamentares favoráveis à punição aos juízes e MP alegam que Lorenzoni havia se comprometido a manter a previsão no seu parecer, mas acabou descumprindo o acordo.

Em um dos momentos mais constrangedores, o deputado Arthur Lira (PP-AL), ao usar o seu tempo de discurso, colocou um gravador perto do microfone e reproduziu o trecho de um discurso gravado de Lorenzoni em que ele se diz favorável à medida.

Os parlamentares se revezaram na tribuna com discursos contra e a favor. “O caso do meu pai talvez seja um dos mais emblemáticos de abuso de autoridade”, disse a deputada Clarissa Garotinho (sem partido-RJ), ao citar a prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho. "Está claro que o juiz agiu por motivação político-partidária", acusou.

O líder da Rede, Alessandro Molon (RJ), foi um dos que defenderam que a emenda não fosse aprovada. “Vai parecer uma mera retaliação do Congresso ao judiciário e ao Ministério Público”, disse.

A força-tarefa da Lava Jato chegou a divulgar uma nota condenando a possibilidade de a Câmara "atentar contra a independência do Ministério Público e do Poder Judiciário". A punição à categoria foi classificada como uma "tentativa de aterrorizar procuradores, promotores e juízes em seu legítimo exercício da atividade de investigação, processamento e julgamento de crimes, especialmente daqueles praticados nas mais altas esferas de poder".

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Operação de busca e resgate acaba após 71 corpos serem encontrados

 
A UNGRD (Unidade Nacional para Gestão de Risco de Desastres) da Colômbia anunciou que a operação de busca e resgate no acidente aéreo da Chapecoense foi encerrada.
 
O balanço da equipe é que foram encontrados 71 corpos de vítimas fatais e seis pessoas saíram feridas do local do acidente até as 18h (de Brasília).
 
A informação inicial é que o voo tinha 81 pessoas, entre jogadores, comissão técnica da Chapecoense, jornalistas, bolivianos e comissários. Mas na verdade apenas 77 pessoas embarcaram no avisão.
 
Ou seja, quatro pessoas não embarcaram de última hora: Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC); Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense; Gelson Merisio, presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc); e Ivan Carlos Agnoletto, jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó.

Entre os seis sobreviventes estava o goleiro Danilo, que morreu posteriormente. Os outros cinco são três jogadores da Chapecoense, Alan Ruschel, Neto e Follman, o jornalista Rafael Henzel e uma comissária de bordo.

Diretor da operação, Carlos Iván Márquez Pérez apareceu em um vídeo no Twitter no qual anunciou o fim da busca.

Padre Fábio Melo presta homenagem aos jogadores da chapecoense

Lá dentro não havia só um time de futebol, não havia apenas um sonho de ser campeão.

Lá dentro haviam vários sonhos dentro de um. Havia a espera do filho que vai nascer, o pai que deixou a família em casa. Havia o filho que largou sua terra em busca de uma vida melhor para mãe. Havia o amor pela aviação. Os que escolheram o céu para trabalhar. Havia a comunicação, aqueles que nos traziam as noticias.

Havia a esposa que esperava em casa. A mãe que aguardava a ligação. As mais altas vibrações de positividade. Havia o filho que aguardava o retorno do seu herói. Havia um povo que acreditava no potencial de um esporte que tranforma vidas no nosso país.

Havia muitos amores que batiam em muitos corações que nesta madrugada, pararam.

O abraço, o sorriso, a competência, a ascensão, o sonho da equipe Chapecoense hoje ficam marcados na nossa memória, e os tornam nossos verdadeiros, únicos e vitoriosos jogadores de futebol.

A partida do dia 30/11 ainda está marcada, o campo está no céu e a plateia de anjos já está formada.

Que o nosso Senhor conforte os corações dos familiares que aqui ficaram!

Homenagem: Padre Fabio de Melo.

150 socorristas trabalham no resgate dos corpos vitimados pela queda do avião que conduzia jogadores da chapecoense


Mais da metade dos corpos vitimados pelo acidente com o avião que conduzia o time da chapecoense já foram resgatados mas ainda estão no local do acidente.

São mais de 150 socorristas que participam da operação de resgate dos corpos.

Estas são as primeiras imagens do acidente, uma das caixas pretas acaba de ser localizada e as causas do acidente ainda são desconhecidas.

O momento é de comoção em todo Brasil, familiares das vítimas aguardam mais notícias e alguns deles deverão viajar em avião da FAB, cedido pelo governo federal, para procedimento da identificação dos corpos.

Clubes se unem para ajudar Chape com empréstimos de jogadores

Clubes brasileiros se uniram e publicaram nota oficial em conjunto para, além de manifestar pesar pela tragédia com a delegação da Chapecoense, também oferecer ajuda com empréstimo gratuito de atletas e solicitar à CBF que a equipe catarinense fique imune ao rebaixamento pelas próximas três temporadas.

Coritiba, Corinthians, Cruzeiro, Fluminense, Palmeiras, Portuguesa, Santos e São Paulo divulgaram nota no início desta terça-feira, e há expectativa de que outros clubes também venham a aderir ao movimento, como o Grêmio.

Num vídeo divulgado em seu site oficial, o Cruzeiro, através de seu presidente, Gilvan de Pinho Tavares, também se coloca à disposição para emprestar jogadores à Chape.

– Nós estamos tristes, sentidos com essa tragédia, mas haveremos de ajudar. Trabalhando unidos, nós, presidentes de clubes do futebol brasileiro, para ela voltar com galhardia a disputar as competições do futebol brasileiro. Estou propenso a conversar com os outros clubes para que desenvolvamos um projeto para emprestarmos jogadores de bom nível para que eles possam disputar as competições de 2017 – disse Gilvan, em vídeo.

Paralelamente a isso, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) planeja incluir a Chapecoense na Libertadores e na Recopa de 2017.

Na madrugada desta terça-feira, a aeronave que levaria a delegação da Chapecoense à Colômbia para a final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, caiu antes de chegar a Medellín.

Há confirmação de 75 mortes, entre atletas, membros da comissão técnica, dirigentes, jornalistas e tripulação. Clique aqui e acompanhe a repercussão em tempo real da tragédia envolvendo a Chapecoense na Colômbia.

Veja a nota divulgada pelos clubes:

Neste momento de perda e de profunda tristeza, nós, presidentes dos clubes brasileiros que publicam essa nota, gostaríamos de manifestar nossos mais sinceros sentimentos de pesar e solidariedade à Associação Chapecoense de Futebol e seus torcedores, e em especial às famílias e amigos dos atletas, comissão técnica e dirigentes envolvidos na tragédia ocorrida na madrugada desta terça-feira (29).

Mesmo cientes dos prejuízos irreparáveis provocados por este terrível acontecimento, os Clubes entendem que o momento é de união, apoio e auxílio à Chapecoense.

Neste sentido, os Clubes anunciam Medidas Solidárias à Chapecoense, que consistirão, dentre outras, em:

(i) Empréstimo gratuito de atletas para a temporada de 2017; e
(ii) Solicitação formal à Confederação Brasileira de Futebol para que a Chapecoense não fique sujeita ao rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro pelas próximas 3 (três) temporadas. Caso a Chapecoense termine o campeonato entre os quatro últimos, o 16o colocado seria rebaixado.

Trata-se de gesto mínimo de solidariedade que se encontra ao nosso alcance neste momento, mas dotado do mais sincero objetivo de reconstrução desta instituição e de parte do futebol brasileiro que fora perdida hoje.

Palmeiras pede para usar camisa da Chape na última rodada do Brasileirão

O Palmeiras quer usar a camisa da Chapecoense na última rodada do Campeonato Brasileiro. O campeão do torneio vai enfrentar o Vitória, no dia 11, às 17h, em Salvador, e gostaria de fazer essa homenagem ao time catarinense, que perdeu jogadores, comissão técnica e diretores em desastre de avião a caminho da Colômbia. A equipe disputaria a final da Copa Sul-Americana.

Essa ideia começou em campanha de torcedores nas redes sociais. Motivado por isso, o clube de São Paulo solicitou à CBF liberação para fazer tal homenagem.

A Crefisa, patrocinadora do Palmeiras e responsável pela exposição das marcas da instituição financeira e da Faculdade das América (FAM) no uniforme do Verdão, liberou o clube para homenagear a Chapecoense.

A adidas, fornecedora de material esportivo do Verdão, também será consultada pelo clube.

Por contrato, a empresa precisa ser consultada sobre qualquer alteração na camisa de jogo que reflita na alteração no posicionamento das marcas. Em contato com Maurício Galiotte, presidente que assume o Palmeiras no dia 15 de dezembro, a Crefisa não fez nenhuma oposição a qualquer manifestação do clube na última rodada do Campeonato Brasileiro.

Seis sobreviventes confirmados; quatro são jogadores

 

Cinco pessoas sobreviveram ao acidente de avião que levava os jogadores da Chapecoense a Medellín. Três delas são jogadores do time de futebol: o goleiro Marcos Danilo Padilha, 31 anos; o goleiro reserva Jackson Follmann, 24; e o lateral Alan Ruschel, 27. Os três foram encaminhados a hospitais da região.

Outro sobrevivente é uma comissária de bordo, identificada como Ximena Suárez. O quinto resgatado com vida é o jornalista brasileiro Rafael Henzel Valmorbida. Um sexto passageiro chegou a ser encaminhado com vida a um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.
Queda de avião:

A equipe de futebol disputaria, amanhã, a final da Copa Sulamericana contra o Atlético Nacional. Havia 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros e nove tripulantes.

Segundo a administração do aeroporto, a aerononave caiu em uma região montanhosa de difícil acesso, mas as equipes de resgate já chegaram ao local. "É uma tragédia de grandes proporções", confirmou o prefeito da cidade, Federico Gutierrez, em entrevista a uma rádio local.

Entre as vítimas havia também jornalistas que cobririam o jogo.

O voo, da companhia Lamia, partiu de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, em direção a Medellín, mas se acidentou pouco antes de chegar ao destino, nas redondezas da cidade de La Union.

CBF adia a final da Copa do Brasil por tempo indeterminado

A CBF divulgou em seu site oficial que a segunda partida da final da Copa do Brasil, que seria disputada por Grêmio e Atlético-MG, no Rio Grande do Sul, está suspensa por tempo indefinido.

O jogo estava previsto para a próxima quarta-feira (30), mas, devido à tragédia do voo da Chapecoense para Medellín, que deixou 76 mortos, a entidade decidiu por adiar a decisão. O time catarinense viajava para enfrentar o Atlético Nacional, da Colômbia, no que seria o duelo de ida da final da Copa Sul-Americana e a primeira decisão internacional da história do clube.

Lásaro Cândido, diretor jurídico do Atlético-MG, já havia se pronunciado nesta terça-feira, lamentando o ocorrido e cobrando uma posição da entidade máxima do futebol sobre a final da Copa do Brasil.

- É uma tragédia, lamentamos muito o acidente. Mas não tivemos nenhuma confirmação sobre o adiamento ou o cancelamento da final da Copa do Brasil. Imagino que o jogo deva ser adiado. Mas, à princípio, o voo do Atlético está confirmado, mas imagino que até o horário do voo, no início da tarde, já devemos ter uma definição - disse o dirigente, antes do comunicado da CBF.

No duelo de ida da final da Copa do Brasil, o Grêmio venceu o Galo por 3 a 1, em Belo Horizonte.

Acidente com avião da Chapecoense deixa 76 mortos


Aeroporto de Rionegro, na Colômbia, emitiu comunicado de imprensa que cita seis sobreviventes

Ao menos 76 pessoas morreram após a queda do avião que transportava a equipe da Chapecoense, informaram as agências internacionais de notícias. O número de vítimas foi confirmado pelo chefe da equipe de resgate e divulgado pela Globo News, no entanto ainda não foram relevadas as identidades das vítimas.

Cinco pessoas foram resgatadas com vida e já foram identificadas, informou o General José Acevedo Ossa, da polícia local. A busca pelos corpos continua, apesar das más condições climáticas.

O avião transportava 72 passageiros e 9 funcionários de bordo. O clube viajava de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, para Medellín, onde disputaria a final da Sul-americana. A Conmebol adiou definitivamente a final.

Ainda segundo o comunicado, equipes de Bombeiros, da Polícia, da Prefeitura de Rionegro continuam as buscas por vítimas.

De acordo com informações do jornal Zero Hora, o ex-lateral Alan Ruschel, do Internacional, é um dos sobreviventes. Ele está ferido e foi levado para o hospital de La Cepa. Os goleiros Danilo e Follmann também foram resgatados com vida. A comissária de bordo Jimena Suárez e o jornalista Rafael Henzel também teriam sobrevivido ao acidente.

Confira a lista de jogadores que estavam no avião

Atacantes: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.

Volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel, Matheus Biteco, Cleber Santana e Arthur Maia.

Defensores: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto.

Laterais: Gimenez, Dener, Alan Ruschel e Caramelo.

Goleiros: Danilo e Follmann.

Repórter do Globo Esporte estava no voo da Chapecoense

Cinco profissionais que trabalham na RBV TV, afiliada da TV Globo em Santa Catarina, estavam no voo com a equipe da Chapecoense

De acordo com o site Click RBS, embarcaram no voo, o repórter André Podiacki, do Diário Catarinense, o repórter Giovane Klein, da RBS TV, o técnico Bruno Silva e o repórter cinematográfico, Djalma Neto.